A solidão!




Estou sozinha em casa
Há um silencio de morte
Há uma vontade de paz
As horas que passam.

Nosso tempo vivido
Nosso tempo por viver
Nossas expectativas.
Logo será amanhã
Mas nem vivi o hoje por inteiro.

Dê-me mais algum momento
Preciso desse instante breve.
Esse rodamoinho em que vivemos
Toma-me e me arremessa para lida.

Preciso sair,
Mas eu gostaria de ficar
Mais um pouco aqui
Comigo somente .

Sem dores, sem a necessidade
De ser o que não sou...
Porque o que eu sou
Não está na minha certidão
Nem no nome que carrego
Nem na matéria densa.

O que sou tem linhas e rimas
Tem um punhado de magia.
Que a olho nu não se vê.
Pois na essência é que encontro.

Á poesia
A flor germinando em meu jardim
A alegria vencendo a tristeza
A certeza da imortalidade da alma.
Pois da matéria para essência
Todos um dia iremos...

Autora
Liê Ribeiro
Paz e luz...

Comentários

  1. Boa noite!

    Muito bom o seu blog, com poemas que toca o fundo dos corações de quem lê e de quem aprecia uma boa leitura.

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Oi Igor, obrigada, que os meus poemas realmente alcancem os corações e almas..
    abraços
    Liê

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!