No palco da Vida!



Meu filho
Eu queria
Ver o mundo
Pelo cristalino
Dos seus olhos


Eu te olho e choro
Eu te olho
E há em mim
Uma admiração profunda


Por sua tentativa
De se aproximar
De acertar
De me buscar
Como se eu fosse a  bussola...
Em meio a essa vida a deriva dos seres.

A! Meu querido
Nessa loucura
De nossas existências
Emboladas e tão subjetivas


Eu sonho
Já realizei alguns...
Mas há tantos sonhos, sonhados
Que ficaram no meio do caminho


Meu filho
Eu paro
E reparo
Na sua realeza
Sem nenhuma ostentação.


Simples como água e a terra
Simples como o sorriso e a lágrima
Simples, mãos dadas
Estrada longa...


E no palco na vida
Eu represento a mãe calejada
Você interpreta seu autismo
Num canto, sozinho
Algum personagem
Que nem ao menos se apresentou
Chora baixinho...


E você se aproxima dele
Sorri e canta
Canta como um rouxinol
Aprendiz na sensação de sentir
E nessa lida que não nos abandona


A cortina do dia se apaga
E nós partimos,
Você carrega pela mão seu amigo!
Vamos, todos vamos um dia...
Amanhã novas luzes
Nova esperança
E a arte de sobreviver sonhando!


Autora
Liê Ribeiro
Mãe de um rapaz autista.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!