Poema para minha Mãe!




Não é definitivo esse sofrer.
Nada é completamente vazio.
Mas há saudades guardadas
O tempo que nos carrega para frente.
E lá atrás alguém que ficou...


Mãe, quantas conversas ficaram por falar.
Quantos perdões ficaram por pedir.
E essa sensação inacabada de horas.
Que jamais conseguimos protelar.


Se eu pudesse Mãe,
A visitaria na mesma casa
A beijaria no mesmo rosto
Abraçaria o mesmo corpo pequeno.
Fomos felizes...
De alguma forma vencemos nossas distâncias
E eu a admirava e admiro.


Sua silhueta miúda.
A força que vinha do seu interior
Fazendo-me crer que não estava sozinha.
Jamais deveria desistir.


Mãe, a história nos separa
Na verdade a morte.
Mas quantos momentos vividos



Quantas vezes pedi,
Que não fosses embora
A estrada da vida é tão longa
Para seguir sozinha.


Mas eu devia deixá-la ir.
Seu corpo já cansado
Sua alma já se libertando
A matéria cansada da carga


Mas saiba, mãe
Que não é fácil
Não há tempo
Que apague o amor que tenho.


Por isso de onde estiver
Ouça minhas orações

Meus votos de agradecimento
Meu pedido de benção...




Autora
Liê Ribeiro
Paz e luz...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.