Meu reflexo!




Por muito tempo me acorrentei
Á conceitos vencidos
A liberdade pressupõe felicidade
Jamais condição de subjugação.
Por muito tempo
Achei que não venceria
Todas as batalhas da minha vida


Mas ainda estou aqui.
Não posso dizer inteira.
Mas também não sou pedaço
Talvez a metade de uma vida
A procura de sua outra parte.


Nova, muito nova
Fui testada para ser perfeita
Por muito tempo
Cobrei-me vencer todas as guerras
As piores foram às internas.
Aquelas que dependeriam somente de mim.


Procurei por aquela luz
Que sempre fugia de mim.
Na escuridão da minha ignorância
Não percebi tua presença
Em minha vida...


Por muito tempo fui protelando
Viver por inteiro o destino
Que a mim fora concebido
Jamais imaginei que seria assim.
Pedra por pedra
Dores por dores...


Troquei as roupas da minha pele
Cortei os cabelos da minha mente
Quis ser o que não era copo vazio.
Então por muito tempo, deixei de ser eu


Para ser somente poesia!
Mas a poesia sou eu
Nessa luta desenfreada
Para sobreviver na árida cidade cinza.
Por muito tempo ainda irei cavar
Terras internas para recuperar
O ouro da minha crença!


Autora
Liê Ribeiro
Paz e luz...

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!