O aprender com a vida!





Não me peça a perfeição
A graça está em persegui-la.
O mundo se dissolve em ganância
E o habitar lúdico se perdeu.

Sobras de ontem...
Que não podemos aproveitar...
O tempo nos jogou ao vento.
Do que me lembro?
Perdi os detalhes...
Mas ficou o conteúdo.

Do que você se lembra?
O mundo passado em branco!
A vida nos dá tontura... Eu sei.
Partículas de parte alguma...

O tempo nos envelheceu
Sem tirar o sorriso dos nossos rostos
A lágrima é insistente em meus olhos.
Você perdeu o dom de chorar.

Mas há um imenso mar
Em tua alma...
Que um dia ira vazar
Todos os seus sentimentos
Todos guardados como relíquia.

Não te quero sofrendo
Mas não posso sentir
Que és indiferente ao que sinto.
Não precisei ensinar-te a me amar

Teu carinho me diz
Teu sorriso me alerta
Teus olhos brilhantes a me procurar
Teu beijo espontâneo.

Como eu esperei por isso
Todas as dores, todas as noites insones
Todos os embates com você travados
Somente nos colocou nesse porto
Onde hoje aportamos, mãe e filho.
O que nos espera mais além...

A! Querido...
Não vou pensar
Viveremos o hoje
Segundo por segundo

Não irei sofrer pelo o que ainda
Não vivemos
Não há por que
Então apague a luz.

Já é tarde
Amanhã é outro dia...
Mesmo que você não entenda
A vida por inteira...
Ela nos espera lá fora!

Autora
Liê Ribeiro
Mãe de um rapaz autista.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!