Nada se Compara a você!


                                                       



Eu fui caminhar ao teu lado
Eu preciso caminhar ao teu lado
As pessoas precisam caminhar lado a lado
Você necessita das minhas mãos

E assim:
Andamos de mãos dadas
É diferente
É estranho

Um rapaz já homem
Sua mãe já madura
A! Mas a pessoas precisavam
Andar de mãos dadas
Unir-se na tolerância

Você dá tanto exemplo
De amor sem interesse
Um afeto, um sorriso
Um sentido para estar vivo.
Em meio a tanta solidão coletiva

E pelas ruas
Olhares estranhos
Observam-nos
Parece feio e absurdo
A impressão torta
Dos olhares maldosos

Como precisaríamos
Mudar o foco do  mundo...
Excesso de indiferença
De exclusão humana
Da matéria, valendo mais que a essência.

E você se contenta com tão pouco,
Um pedaço de pão na chapa
Um chá quentinho
Um doce para adoçar seu paladar.

E se lambêssemos nossas feridas interiores?
Talvez nos sensibilizássemos
Com as feridas alheias.
Você sem entender muito a dor da alma
Tenta limpar minhas lágrimas

Mas quando olho a minha volta
A procura de alguma humanidade
Penso:
Mesmo que eu procure muito
Nada se compara a você, meu filho!


Autora
Liê Ribeiro
Mãe de um rapaz autista.

Comentários

  1. Liê, bom dia!!

    Simplemente lindo!! Seu poema é um abraço na alma!

    Eles são tudo em nossas Vidas.

    Um grande abraço e uma otima semana!!!

    Claudio da Rosane,

    Pais do Daniel de 3 anos(Resende)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!