Valei-me !



Valei-me
Eu voltei a sorrir
Pequenas mudanças internas
Um dia especial
Uma noite de paz
Uma manhã de lindo sol


Quem me condenará?
Vaguei pelas ruas
E nada vi de felicidade
E eu, sorrindo

Um jogo injusto
Poucos podem provar
Do sabor doce do pecado
Rasgue as normas
Construa castelos


Deixa a vida te levar
Ela pode logo acabar.
Monólogo dos poetas
E o amor conduzindo a todos
Pela estrada do prazer.


Na sombra do arvoredo
Um cheiro bom de terra
Valei-me!
Meus passos diminuíram
Tantas pegadas por caminhos tortos


Finalmente poderei encontrar
Alguma paz...
Essa alma em infinita busca.
A tristeza que adormeceu por instante.

A natureza é tão bela
Tanta riqueza sem precisar de dinheiro
Tanta profundidade
Sem a necessidade rasa
Das grandes cidades
E eu me rendo.
Deito à dor a beira da cachoeira


E vou despertar o arco Iris
Para guiar-me pelo caminho
Todas as cores e formas
Quiçá passar pela vida, vivendo!


Autora
Liê Ribeiro
Paz e luz.

Comentários

  1. Lindo,poético e profundo para os que sabem enxergar as entrelinhas do poeta !
    Parabéns!!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!