Minha Casa!





Minha casa
É onde mora
Seu coração
Meu lar
É a paz do seu sono
Minha estrada
São os seus passos

Meu jardim
Cheio de flores vermelhas
Que pena
As vozes
Estão tão vazias
Proclamam poderes.

E nós só queremos
A força do amor
Recompondo nossos destinos
Meu céu tem palavras
Jogadas como estrelas.

E a maior me mostra
Que a palavra dita
Pode ferir, mas do que a escrita
Então vamos calar a maledicência

Como é feia a hipocrisia
E se formos amigos do inimigo
Como vencer esse limite?
Amar o adversário
Quão longe da perfeição estamos.

Mas se não há ódio, somente indiferença
Teremos vencido a nós mesmos.
Nessa escola que é a vida
O defeito nos aprimora
A qualidade nos acomoda

Mas afinal como seguir sem nos machucar?
Na cova funda do meu pesar
Se olharmos bem
A tantos caídos ao nosso lado
Que nossas lágrimas são efêmeras.

Há tantas bocas famintas no mundo
Há tanta maldade vestida de líder
Há tanta escassez de amor
Que se eu pudesse me fecharia
Numa página qualquer de um livro
E lá escondida me tornaria numa poesia!

Autora
Liê Ribeiro
Paz e luz.

Comentários

  1. Ainda tem o seu perfume
    Pela casa
    Ainda tem você na sala
    Porque meu coração dispara?
    Quando tem o seu cheiro
    Dentro de um livro
    Dentro da noite veloz...

    ResponderExcluir
  2. puxa que lindo trecho de uma musica... que gosto muito.
    obrigada
    Liê

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.