A linha do Destino!





Eu vou ler as linhas da tua mão 
Vejo estradas cortadas
Nuvens claras e escuras
Personagens, personagens.

Não sou poeta de rimas e trovas
Não sou poeta
De récita culta
Sou alguém que sente
Além da carne
Além da pele...

Sou alguém que pensa
Além da mente
Além do concreto,
As formas abstratas da alma.

Eu vou jogar as pedras
Do seu destino
Se eu pudesse mudaria
Alguns trajetos
Outros eu deixaria
Um caminho de flores
Sem espinhos.
Para você seguir.

Autora
Liê Ribeiro
Mãe de um rapaz autista.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.