Você é meu Filho!



Eu prometi não chorar
Eu era tão tola
Quando você nasceu
Programando o futuro
E o presente
Calçando-nos de mistérios seculares.

Eu sabia,
Juro eu sabia
Que havia algo distinto
Naquela manhã...

Quando a gente
Não aprende pela razão
Lá vem a dor nos ensinar
Não poderia aprender
Da melhor forma.

Na verdade as coisas
Nunca foram fáceis para mim...
Mas nada que não se consiga vencer

Quem eu amo
Não cabe na sociedade típica.
Quem eu amo
É uma presa fácil para se eliminar

Se eu não me armar de fé
Quem disse que eu conseguiria
Nunca pedi o milagre da perfeição
Ousadia num mundo cheio de seres imperfeitos.

Para que tanta conjectura
Valei-nos o amor
É claro que falhei,
Sou humana, antes de ser mãe...

Maternidade é um compromisso de dores
Amores, risos, às vezes de alienação...
Quem eu planejei?
Confesso que não me lembro mais...

Alguém sensível, você é...
Alguém, amoroso, você é
Alguém educado, você é.
Alguém diferente, você é

O que posso querer mais?
Talvez uma sociedade mais solidária
Uma humanidade mais humana
Com seus diferentes...

 Autora
Liê Ribeiro
Mãe de um rapaz autista.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!