Meu olhar me Define!



Ferve em meu sangue
A vida que ainda não vivi
Pulsa em minha mente
Histórias que ainda não li...

Eu sinto o que não sentes
A seleção natural das coisas
Seria o mais forte
Superando o mais fraco

Mas a minha fortaleça
Está na sua diferença
A exata forma disforme...
Que a todos faz temer...

Cabem em minhas mãos poucas coisas
Para que querer mais...
Um instante de paz é o que preciso
Um carinho que não seja roubado

Uma palavra que seja justa...
Nem para esquerda, nem para direita
O meio termo para concordar
Que nada é demasiadamente dorida

Que há alguma felicidade
Que me espera... Que todos esperam.
E se você me ouvir no sussurro do vento
Verá que não precisarei gritar
A tempestade que nos separa...

A realidade não mudará por mim
Nem por você
Mas posso cortejá-la sem vivê-la
Posso fingir que aceito
Mas no fundo continuarei a sonhar
Então sonhe, sonhemos todos nós!

Autora
Liê Ribeiro
Paz e luz...



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.