O Sol é minha esperança!


Há limites que precisamos desfazer
Minha impaciência
É milenar...
E esse dia de chuva
Já nasce cansado

E suas manias
Vão me enervando aos poucos
Prefiro deitar meus pensamentos
Nesse papel...

Gostaria do silêncio
Só por um momento
Falações demais
Sentido de menos
Vou sair para me molhar

Mas a chuva é sem sabor e fria
Sem graça quando fica assim
O dia inteiro...
Venha se eu chamar
Amor sem mistério

Sem flores, sem pimenta
Sem surpresas
É amor fadado ao fim.
Fica o isolamento compartilhado.

O vazio das almas
Não gosto de dia chuvoso
Mas gosto da chuva
Que caí ao final da tarde
E depois abre o arco

Quando chove o dia inteiro
É como se toda natureza
Só chorasse e não sorrisse

Tudo igualzinho a ontem
Poesia me livre disso
Da frieza dos olhares
Da desesperança dos sentires.

Vou Bendizer o dia mesmo assim...
Vou esperar o sol na varanda
E se ele não se atrasar
Talvez...
Irrompa com a frieza dos corações
E me faça derreter de esperança!

Autora
Liê Ribeiro
Paz e luz

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.