Reflexão de Domingo!




Eu não quero promessas vãs...
Não, não vivo de hipóteses
Sejam elas boas ou ruins
Já sofri demais pensando
No futuro...

Mas em minhas mãos só cabe
O hoje...
O amanhã
Quem disse que o terei...

O que adianta querer passos
Que os meus pés não podem dar...
Queria asas,
Queria flutuar entre nuvens

Queria o teu sorriso
Eterno em seu rosto
E quem dera alguma esperança
Plantada nessa terra árida de amor.

Como mudar tanta incoerência?
A individualidade é coletiva e doente.
E vamos buscando alguma luz
Que nos tire dessa escuridão interior.

Fiz tantas promessas
Poucas eu consegui cumprir
Pois quem sou eu?
Além de aprendiz

Forçado a saber na marra
As nuanças de um ser além de mim...
Pura história da carochinha
Mas afirmei cavar no lodo da realidade
E de lá tentar achar a pérola do seu olhar

Precisava dele, dentro dos meus olhos
O reflexo do meu amor
Pedi só uma chance de amar-te como és!
Pois para isso a tanto que aprender...

Quebrar o paradigma da semelhança
Da perfeição que não está na matéria
Sei que ainda falta muito
O doce e o fel às vezes têm o mesmo sabor
O que muda é aonde vamos buscá-los.
Resolvi buscar no mistério do seu autismo.


Autora
Liê Ribeiro
Mãe de um rapaz autista.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!