Reflexão de Domingo!




Eu não quero promessas vãs...
Não, não vivo de hipóteses
Sejam elas boas ou ruins
Já sofri demais pensando
No futuro...

Mas em minhas mãos só cabe
O hoje...
O amanhã
Quem disse que o terei...

O que adianta querer passos
Que os meus pés não podem dar...
Queria asas,
Queria flutuar entre nuvens

Queria o teu sorriso
Eterno em seu rosto
E quem dera alguma esperança
Plantada nessa terra árida de amor.

Como mudar tanta incoerência?
A individualidade é coletiva e doente.
E vamos buscando alguma luz
Que nos tire dessa escuridão interior.

Fiz tantas promessas
Poucas eu consegui cumprir
Pois quem sou eu?
Além de aprendiz

Forçado a saber na marra
As nuanças de um ser além de mim...
Pura história da carochinha
Mas afirmei cavar no lodo da realidade
E de lá tentar achar a pérola do seu olhar

Precisava dele, dentro dos meus olhos
O reflexo do meu amor
Pedi só uma chance de amar-te como és!
Pois para isso a tanto que aprender...

Quebrar o paradigma da semelhança
Da perfeição que não está na matéria
Sei que ainda falta muito
O doce e o fel às vezes têm o mesmo sabor
O que muda é aonde vamos buscá-los.
Resolvi buscar no mistério do seu autismo.


Autora
Liê Ribeiro
Mãe de um rapaz autista.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.