Ano Novo, Chuva lavando o caminho!



Nessa primeira manhã
De um novo dia
Há dias chove
Há dias o céu chora

Talvez para limpar
Todas as mágoas de ontem
O ano que passou
Calma chuva mansa.

Uma saudade permanece
Uma esperança precisa
Vencer as enchentes do descrer.
A escuridão precisa ser alvejada
Uma preguiça de vida
Uma moleza de amor

Quem vai ao longe?
Quem vem lá do horizonte?
Sua sombra a chuva lavou
Seu rastro nem as estrelas guardaram.

Um caminho de espinhos
Devemos atravessar
Valente todo mal abater
Vencendo primeiro
O mal que ainda habita
Em o nosso próprio ser

Escondida a alegria
Espera pelo sol toda nuvem vencer
Mas ele há voltar, creio
Há de voltar aquele brilho
Que um dia eu avistei em teu olhar
Eu sei, há de voltar...

Autora
Liê Ribeiro
Mãe de um rapaz autista.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!