O futuro é hoje meu filho!


Eu componho o descaso
Os percalços
Ensinaram
Como retomar o caminho
Nada certo ou errado.
O Aprendizado
Faltam horas para vencer o dia
Tudo fica para amanhã
Tudo fica para depois
Você acorda sorrindo
Eu durmo chorando
Coisas da vida...
O futuro bate na porta
O que podemos esperar?
Não devo pensar
Não devo sofrer
Mas há momentos
Que o caminho parece
Pedregoso demais
Quente e frio
Nossos instantes
Sempre nos colocam
Entre a cruz e a espada
Se eu não chorar implodo
Se você não sorrir eu morro
Então sigamos as setas
Que guiam nosso amor
Hoje, hoje é o que importa.
A felicidade mesmo sendo uma miragem
E lá que queremos chegar
Vida árida, coração brando, e lá que iremos chegar!

Autora
Liê Ribeiro
Mãe do Gabriel/autista.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!