Um olhar Puro!


Esse olhar o que busca?
Além da cegueira
Que toma conta do mundo
Tudo para mim é poesia
Mas a vida recheada de falsidade
Quer mata-la em nome da realidade

Se eu for bom
Serei carta fora do baralho
Mas me diz?
O que você vê que ninguém mais vê?

Vemos mas não enxergamos
Um passo diante do nosso nariz
Só damos valor quando perdemos
E tememos ser sinceros
Por quê?
Se não nos engolem e cospem
Às vezes não sei o que faço
Saio para respirar, esquecer.
Meu corpo todo treme


Não é medo...
Essa fala desconexa
Você quer que eu repita
Dialogo de nada dizer é loucura.

O que acrescentar?
Se tudo que falamos parece cobrança
Mas você o que deseja da vida?
A vida é que te dá tanta lambada

Reduzida  a limitação do pensar
Você sorri, eu preciso compreender do que.
A felicidade precisa ter motivo, será?
A tristeza é tão obvia, vem e nos rouba o dia.

Mas você não vive sua vida
Você recebe a vida que dou pra você.
Direciono-te e você vai confiante
Deus, qualquer um pode leva-lo ao abismo.
E você cair...


Preciso acreditar que isso não irá acontecer.
Oro e creio, não tem outro jeito.
Amar-te, amar-te...
A mãe espera que esse amor te proteja...


Autora
Liê Ribeiro
Mãe do Gabriel/autista.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!