Poema para Florbela Espanca!






Quem me dera Florbela
Carregar nas linhas tortas
Dos meus poemas
Uma ínfima intimidade
Com suas inspirações

Leio-a, como quem busca.
Alguma conspiração de poemas
Calço-me de humildade
Diante de tanta beleza.

 Dolorida, sofrida e valente.
Aos olhos do mundo
Já fomos esquecidos
E se eu unisse nossos pensamentos?
Não encontraria nenhuma logica

Perco-me entre as palavras
Você se encontrava nelas
Confundo-me aos meus sentimentos
Você se escondia deles...

Lua de prata distante
Se há algum motivo
Para existir.
Seria para ler-te dentro da minha alma...

Autora
Liê Ribeiro
Paz  e luz..

Comentários

  1. Não és sequer a razão do meu viver
    Pois que tu és toda a minha vida...

    ResponderExcluir
  2. Beija-mas bem!... Que fantasia louca
    Guardar assim, fechados, nestas mãos,
    Os beijos que sonhei pra minha boca!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.