Da Lagarta a Borboleta!


Nada é novidade
Para nós hoje
O pensar esquecido
Em algum ponto
Da dessa lida incessante.

A grama por podar
Á casa para arrumar
Restos de ontem
Para jogar fora

Assim deveria ser nossa vida
Renovada todo dia
Como a lagarta que dorme nada
E acorda numa linda borboleta
Pronta para voar
A liberdade de suas asas.

As nossas asas o destino cortou
Vamos caminhando
Á passos vagarosos,
Horas perdidas.

O que importa
A realidade pode ser cruel
Mas ainda possuímos o dom de sonhar
Você nem regrediu, nem evoluiu muito.

Mas continua seguindo seu destino
Eu quase temi partir
Mas o que é chegar
Se não tiver partido de algum lugar

Nós reclamamos da vida
Mas ela é exatamente aquilo que fazemos dela
Mil picadas de dor que precisamos limpar

Mas se por instante fomos felizes
E essa sensação nada poderá nos tirar
Mas não sou infeliz
Às vezes triste

As pessoas perderam-se de si mesmo
Vivem personagens que elas mal conhecem.
E eu às vezes me perco de mim mesma
Talvez no espelho
Que não esconde meu olhar.

O velho e o novo
Parte da mesma vestimenta
Um logo cumprirá seu desígnio
O outro mal sabe
Que há muitas estradas por seguir!


Autora
Liê Ribeiro
Mãe do Gabriel/autista
21/07/2012.

Comentários

  1. ...A cada dia admiro mais esta pessoa,esta mãe presente e participante,esta guerreira que não foge a luta, este ser de luz que encanta com poesia e palavras,simplesmente vc...Lindo!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.