Promessas!


Fazemos tantas promessas
Cumprimos tão poucas
Por que será?
Os percalços
A falta de fé
O dia, o frio, a solidão?

Os sonhos por que
Perdem-se às vezes
Em pesadelos reais?
Que nos acordam
Em meio à noite
O cansaço do corpo
O pesar da mente.

As perguntas
Que perduram sem respostas
Tudo gira em torno do ter
O ser nem se reconhece no espelho.

A beleza artificial
Corroída pelo tempo
A dor de Édipo
O que somos por dentro
Ninguém quer ver

Ranços e poeira
Que precisam ser limpos
Para continuarmos a existir
Sem a ideia desistir
Desistir do que?
Se nada nos pertence
E a vida mal foi vivida por inteira...

Autora
Liê Ribeiro
Poetisa...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!