Não sou sua amiga, preciso ser sua mãe!


Eu não sou sua melhor amiga, filho.
Porque preciso ser a melhor mãe que puder.
Á distancia entre uma e outra
É muito grande...

Algo de DNA, de semelhança.
De compromisso...
De dor e de alivio.

Se eu me for, parte de mim.
Ficará em você
Parte de você eu levarei
Isso não pode se medir
Pela simples composição romântica
Da amiga substituindo a mãe.

Não quero ser sua amiga
Pois a divindade de ser mãe
É muito maior...
Uma responsabilidade de vida
De doação e de eternidade.

Quando você diz mamãe, mamãe.
A nossa ligação fica quase completa
Pois a não compreensão lúdica da palavra.
Não lhe impede de encontrar-me.
Entre tantos estranhos amigos...

Não há igualdade
Não pode haver
Entre uma e outra.

Ligação eterna
Que nem a morte pode romper
Quando o amor de uma mãe
E do seu filho autista
Vence a si mesmo.

Então me deixa ser mãe
Talvez numa outra encarnação
Eu venha se tanta responsabilidade
E seja somente a amiga!


Autora
Liê Ribeiro
Mãe do Gabriel/autista.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!