Uma dor no peito!



Não ligue o rádio
Não fale nada
Preciso pensar
Preciso de silêncio
Não é nada com você
Não é cobrança

Esqueça as conjecturas atuais
Não quero viver do ontem
Café requentado,
Não posso recompor o desfeito
Nem jogar fora o vivido
Pelo bem o pelo mal
Fizeram parte da minha vida

Não quero vida a dois
Quero vida a mil
Mil em uma só...
Se eu jurar que já encontrei
Quem acreditará?

O que me importa o que pensam
O que falam...
O eco do grito só ecoa dentro de mim.
Concessões são um pago muito caro
De um lado ou de outro...

Sempre na balança algo penderá
Mais para um lado.
Deus como dói parar de sonhar
Como o céu cinza cobre o nosso olhar...
De repente viveremos do que?
Talvez da crua realidade
De achar que vivemos
Mas só existimos, miasma de ser!


Autora:
Liê Ribeiro
Poetisa
Mãe do Gabriel/autista.
03/11/2012

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.