Poema de Ano Novo!


 
 
 
 
 

Vida cansada
Precisamos renovar a alegria
Onde ela mora?
Ano novo
 
Sol e chuva
Tantas expectativas
Todas guardadas
Para todos os anos
Que já nascem velhos
Os milenios.

Passam as horas
O relógio do tempo
Jamais esperou nossa vontade
Quem dera parar naquele melhor momento.

E o céu escurece
A chuva vem para lavar o ano
Talvez das incoerências
Para que encharcar a cara.

Prefiro a lucidez do pensar
Refletir e amar
Para que correr da vida
Se por mais que tentamos
Sempre perdemos nossos passos
Em algum caminho...

Então bebo de uma tênue esperança
Numa taça de suco...
Como das sementes de romã
Para a desejada prosperidade
Gostaria que fosse primeiro da alma em evolução.

Da verdadeira felicidade
Que não se veste de branco
Nem de azul, nem a encontramos na matéria.
Mas um dia aprenderemos

Que o verdadeiro ano novo,
Nasce primeiro dentro de nós
A tal reforma intima que precisamos fazer.
Sentimentos velhos jogados ao mar
O renovar o espírito para ser eterno, amém!

 
Autora
Liê Ribeiro
Poetisa amadora,
Mãe do Gabriel/autista.
31/12/2013.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!