Viver!








Rodo
Num espaço
De uma prisão interior
A liberdade
Tem asas

Às vezes
Quebradas pelo destino
Pés calejados
Gastos pelos
Mesmos passos

Não vou ficar
Nem vou partir
Dois lados
Da mesma moeda
Sinto-me tão distante de mim.


Jogamos
Com a vida
Às vezes ganhamos
Às vezes perdemos
Mas nunca saímos ilesos

O Corte e a ferida
Abertas sangram
Viver é um compromisso perene
Com a eternidade
Mesmo com o findar da matéria!

Autora
Liê Ribeiro
Poetisa
Mãe do Gabriel/autista.
29/03/2013

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.