Oração ao Poema!



Sempre procuro na brisa
O aroma da poesia
Sempre desejo
Que as emoções não morram.
Mesmo cansada
De ver tanta incoerência
Entre a palavra e os atos
Ainda assim acredito no humano
Vencendo a si mesmo para ser
Ao invés de somente ter...
E o que temos?
Nus e frios
Nada, nada carregamos.
Essa dor da perda
Quem irá diminuir
Somente nós mesmos...
Perder é aprender ganhar
Ganhar é algo de subjetivo
Porque empatar com a vida
É o vazio...
O mundo é dos vencedores
Do que mesmo?
Mal cabemos em nós mesmos
Mal sabemos para aonde iremos...
Mas vamos...
Repara como tudo
É terrivelmente frágil
A mente, o corpo, nossa alma.
E tudo que nos cerca.
 Repara como a natureza é intensa
Se quiser nos expulsa do mundo
Mas a natureza é perfeita
Não condena
Deixa para nós a incumbência de nos destruirmos
Que pena, queria tanto.
Que todos nós fossemos perfeitos
Como o universo de todas as coisas, Deus!
 
Autora
Liê Ribeiro
Poetisa
Mãe do Gabriel/ autista
20/10/2013

 

Comentários

  1. Ai Liê, não me emociona assim não!
    Ainda nem é meio dia, e você me vem com essa maravilha!
    Mil abraços, e obrigada...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!