Poesia em mim!

Não vou insistir
O dia quer passar assim.
Meio concreto, meio real.
Parece que vai chover
Tantas lágrimas ainda
Por derramar...

As nuvens do pensar as preparam
Se não for hoje, será mais tarde.
Precisamos limpar as amarguras
De ontem de hoje e do amanhã

Afinal elas nos formam
A rocha e a areia
O que se perde
E que se ganha
Nessa vida, cheia de altos e baixos?

Se não for humildade
Do que vale seguir?
Tropeçamos muitas vezes
Em nossos próprios passos

E os fardos em nossas costas
Pesam exatamente
De tudo que não nos desprendemos.
Essa luta diária contra
Nossos próprios defeitos

E se nada ainda se ajeitou
É porque sempre buscamos
No lugar errado.
As circunstancias do existir
É como o sempre que tem seu fim.

E uma vida só é pouca
Para tantas coisas para aprender
Mas nesse instante
Vou derretendo meus medos

Nas linhas desse poema...
O amanhã!  não pertence a Deus
A colheita do que plantei hoje.

Autora
Liê Ribeiro
Mãe do Gabriel/autista.
23/04/2014.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.