O poeta sempre amará!




 








 
Sou à sombra de uma árvore,

Triste saudade.

Que me açoita nessa tarde.

Só me recordo do nosso amor.



Mas os pássaros revoam.

Independe os meus pés no chão

Quero convidar-te a voar comigo.

O amor nos dá asas...

E se o penhasco da vida

 Parece-lhe alto demais

Não temas,

Empresto-te minhas asas...

Ninguém nunca as cortou.



Sinto-me condor livre

A revoar  por todos os mistérios

Do céu e da terra

Voo rasante, o meu pensar...



Venha, a tarde dorme!

A noite vem chegando

Quero viver de esperança

Quero adormecer e sonhar!

O poeta nasceu para amar...





Autora:

Liê Ribeiro

Paz e luz, carinho.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.