Poema da Manhã




Onde fica nossa casa?
Onde nosso coração está
Quando perdemos essa referencia
Somos andarilhos de um amanhecer
Que nunca chegará...

Onde mora nosso coração?
No vazio de algum sobrado
Que ainda não foi habitado.
Muitos dão valor às coisas
O poeta dá valor ao nada
Aquele instante onde tudo
Precisa ser preenchido
O acaso de uma vida
Que seguirá meio matéria densa
Meio essência, quase morta.

O poeta não compõe por valores
Que não sejam da poesia.
Ele pesca as palavras pela intuição
E por elas é arrebatado
E as palavras choram,
E as palavras riem

E as palavras são sua moeda de troca
Vão e vem em sua mente
Voam e repousam no coração
Portanto o poeta não se inspira pela mente
Ele se expressa sempre pelo coração.

Autora
Liê Ribeiro

16/11/2014.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!